Como viajar todo ano…

travel

Você gasta todo dinheiro que ganha?

Você não consegue guardar grana?

Você perde o sono pensando em soluções para se livrar das dívidas?

Viajar para o exterior é um sonho distante pra você por ser muito caro?

Esse post é para você!!!
Viajar sempre foi nossa prioridade. Trabalhávamos o ano inteiro pensando nos 30 dias que estaríamos desligados de tudo, perdidos no mundo. Meus colegas de trabalho nunca entenderam como eu conseguia fazer uma grande viagem todo ano. Os invejosos falavam mal, os bonzinhos perguntavam curiosos, pedindo dicas. Não existe um segredo, é mais uma combinação de atitudes.
1. Sonhe Alto!
O primeiro passo é definir o destino. Seja ousado. Escolha um destino fora do Brasil. Não tenha medo por não ter um bom inglês. Se comunicar é muito mais fácil do que você imagina. Fazer parte de uma cultura diferente é fascinante!!
2. Preparação
Em seguida comece pesquisar. Pesquise sobre tudo! Se prepare. Pegue dicas em blogs, anote ideias, salve fotos…. Aqui começa sua viagem!!
3.Levantamento dos gastos
Depois veja quanto vai custar esse sonho. Se você não sabe nem por o de começar fazer as contas escreva pra gente, temos um roteirinho ótimo.
4. Analise sua situação financeira
Hora de fazer a análise da sua situação financeira e descobrir a sua capacidade de fazer sobrar dinheiro.
Se isso é grego para você, aguarde o próximo post dessa categoria. Ensinaremos como fazer essa análise.
5. Economize em tudo que puder
Ok. Você já sabe o quanto você pode guardar por mês. Esse valor é suficiente para em 11 meses realizar aquela viagem?
Se não for suficiente você terá que cortar aqueles gastos bobos e economizar nos gastos necessários.
6. Organize as finanças
Abra uma poupança para viagem. No final do mês, tudo que sobrar na sua conta transfira para essa poupança. Não mexa nesse dinheiro até chegar as férias!
Quando você menos esperar a data chegou e é só aproveitar!!
Outras dicas para gastar menos:
  • Marque as férias para baixa temporada. Nós sempre escolhemos os meses de outubro e novembro e sempre pagamos mais barato em vôos e hospedagem.
  •  Pague o que puder antecipado. Passagem, hoteis, aluguel de carro, reservas, passeios, etc. Reservando antes é mais barato e quando chegar o dia já tá pago. A conta nos meses seguintes a viagem será menor.
  •  Faça uma pesquisa detalhada sobre o destino. Blogs de viagem dão ótimas dicas de passeios, formas de economizar, alternativas, programas e restaurantes baratos. Nada melhor do que se informar com quem já foi.
 Acredite, é possível viajar gastando pouco. Você não precisa torrar dinheiro com excursões. Não precisa fazer as três refeições em restaurantes nem dormir em hotel luxuoso, afinal a melhor viagem é aquela que você sai de manhã do hotel e volta de noite com a barriga roncando e os pés doendo!!!
E aí, se animou para pensar nas próximas férias???  Qual será seu destino???
Se ficaram com alguma dúvida escreva nos comentários ou por email.
Já ajudamos vários amigos no planejamento de viagens, podemos ajudar você também!
P.

 

Mala ou mochila??

images
Essa é uma pergunta que me faço até hoje em todas as viagens.Lembro que o primeiro drama foi nossa viagem para Austrália onde passaríamos 7 meses.
Arrumar a mala foi um sofrimento!! Eu poderia levar 1 bagagem de 32 quilos.
Optei pela mala de rodinhas. Para caber tudo que eu queria levar, cheguei a recorrer àqueles sacos vácuos (que são uma tremenda enganação – o vácuo não dura nada) e chorei por não caber minha coleção de meia-calças….Dificil colocar em prática o desapego.
Pesei a mala umas cem vezes e fechei com muito esforço nem pensando que não teria espaço para nada que eu quisesse comprar lá!
Acabei não usando boa parte do que levei (nenhuma meia calça) e assim a gente aprende. Hoje não tenho mais problemas com o desapego e não choro mais pelo que estou deixando… Mas optar por mala ou mochila continua um assunto delicado.

Na volta ao mundo escolhi uma mochila e confesso que em muitas horas sonhei com uma rodinha….. Então, o que é melhor??

A mochila é mais prática pra carregar em lugares onde não dá pra arrastar a rodinha – ou seja, te dá mais mobilidade. É mais segura, porque fica mais perto de você e é muito mais fácil de caminhar nas escadarias de metrôs ou em lugares com chão de terra ou areia. Como a mochila é molinha, é fácil encaixar mais algumas coisas quando o espaço estiver acabando.

Mas por outro lado com a mala você não carrega o peso, é só arrastar. Também é mais fácil de deixar as coisas organizadas e as roupas ficam menos amassadas e mais fáceis de achar. A gente acaba camelando menos no geral, mas nas horas que temos que carregá-la ela vira um trambolho!!

Cheguei a conclusão que depende da viagem que você for fazer e dos lugares que vai conhecer. Tanto faz se é mala ou mochila, o segredo é o peso…. Nunca coloque mais do que você pode carregar. Você vai conviver com a sua bagagem durante muitos dias, ela não pode ser um motivo de estress!! Pense bem, será que você precisa mesmo daquele salto alto ou daquele secador de cabelos?

P.

Aplicativos de viajante!

Todo mundo sabe que aplicativos facilitam a vida de qualquer um, principalmente quando se está viajando.
Então, se você pensa em fazer uma viagem longa ou cheia de detalhes, segue uma lista de aplicativos que você tem que ter!!

Skyscanner: Compare passagens aéreas em promoção mais rápido num só lugar. Skyscanner compara mais de mil companhias aéreas e milhões de rotas ao redor do mundo em segundos. Economize dinheiro e tempo. Muito bom, super completo e fácil de usar. Disponível em várias línguas e dá a cotação em mais de 60 moedas.
Usamos muito na nossa volta ao mundo para voos internos! Só lembre que se comprar por eles você paga uma pequena taxa. A dica é pesquisar as companhias e comprar direto pelo site da mais barata.

Booking.com: 99% dos hotéis que reservamos até hoje foram pelo Booking!! Somos fans!! Sempre as melhores opções pelo melhor preço, super confiáveis e quanto você mais usa, mais descontos vai ganhando. Genial!!! Se você tiver algum problema com alguma reserva, não se preocupe…. O atendimento deles é TOP. É só ligar no número enviado no seu email que uma atendente (que fala português) resolve em minutos com toda simpatia!! Recomendadíssimo!!

Tripit: Essa foi minha melhor descoberta!! Para uma viagem tão cheia de detalhes como uma volta ao mundo esse aplicativo é completíssimo!! Dê fim àquele monte de papéis que muitas vezes só atrapalha. Alimente ele com todos os dados de voos, hospedagem, dicas, roteiros, mapas, datas, etc. Tudo fica organizado em um só lugar e é possível acessar sem internet. Seus amigos e parentes também podem acompanhar todo seu roteiro. Muito muito bom!!!

Fast talk: É um aplicativo da LonelyPlanet. Nele você encontra várias frases básicas em Francês, Espanhol, Alemão e Italiano. Todo mundo sabe que para quebrar as pernas de um legítimo parisiense, nada melhor do que começar uma conversa com um “Bonjour” e terminar com um “Merci”. Palavrinhas mágicas abrem portas e sorrisos, nos aproximam da cultura local e eliminam barreiras.

Convert: É essencial ter em mãos um bom conversor de moeda. Muitas vezes viajamos para lugares que a cotação é difícil de multiplicar de cabeça.

Todos eles são gratuitos, baixe logo e crie uma pasta “Viagem”. Tenho certeza que uma hora você vai precisar deles.

P.

Deixe suas frescuras de lado!!

Você sabe o que é uma Guest House ou Bed & Breakfast?
Pois é…. A gente também não sabia, ou melhor, imaginava algo bem diferente.
Por falta de opção, deixamos nosso pré-conceito de lado e resolvemos experimentar, afinal, seria apenas 1 noite!! Isso aconteceu em Bari, no sul da Itália, onde alugamos um carro para conhecer a região.
Na manhã anterior – como de praxe – entramos no Booking.com para fazer a reserva. Ficamos impressionados com a pouca quantidade de hoteis e com o excesso de oferta de Guest Houses.
Ok, conversamos e acordamos em topar essa aventura, afinal, achamos um com fotos bonitinhas e preço ótimo.Com a ajuda do GPS encontramos o endereço….
Como assim? O que é isso?!
Era um prédio velho, caindo aos pedaços. No interfone apenas o nome do Bed & Breakfast escrito a caneta. Tocava e ninguém atendia. Pronto, a primeira coisa que pensamos: “Caimos num golpe!”

Já era tarde da noite e o clima era de tensão! Precisávamos pensar rápido!!
Fomos até o Mc mais próximo para cancelar o cartão e evitar o débito. Depois reservaríamos outro quarto.
Ao entrar no cadastro para pegar os dados, vimos o recado da proprietária do B&B perguntando que horas íamos chegar. Tinha também um fone de contato, então é claro que ligamos.
Depois de 15 minutos nos encontramos com a dona na porta do muquifo…. A medida que eu subia os intermináveis degraus, temia pelo que eu encontraria lá em cima…. Fui administrando a ansiedade focando na frase : “calma, é só uma noite!”

split (112) split (113)

Então quando a mocinha abriu a porta não contive meu “Uallllll!!!”

Fiquei em silêncio não acreditando na beleza e modernidade interior!!!
Comentei com a dona que eu jamais imaginaria algo tão bonitinho, olhando por fora…. Ela me explicou que Guest Houses são muito comuns na Europa. Os prédios bem antigos e bem localizados são reformados por dentro, então tudo é bem novinho!!!
E ela me explicou todo o funcionamento dessa tão nova forma de hospedagem!!!

Não sei porque eu imaginava aquelas cenas de novela…. Imaginava tipo de uma pensão, eu dormindo num quarto da casa de alguém…. Imaginava os donos um casal de velhinhos e quando li na descrição que tinha café da manhã, imaginei uns bicho-grilo do mundo inteiro naquelas mesas grandes cheias de coisas!

Bed & Breakfast não é nada disso!!
Os donos não dormem lá, aparecem só na hora do check in, check out e café da manhã. O café é super caprichado e servido no quarto na bandeja a hora que a gente quiser. Eu tinha meu próprio banheiro dentro do quarto e todas as chaves de acesso para entrar e sair a hora que quisesse. Wifi bombando, chuveiro bom, cama e travesseiros confortáveis…. O que mais eu poderia querer??!!

 30374968

E foi assim que nos demos conta, mais uma vez, de que nossas ideias pré formadas e nossas frescuras infundadas nos impedem de viver experiencias incríveis!

P.

As dificuldades de uma Volta ao Mundo!

Não conheço ninguém que não sonhe em fazer uma viagem de volta ao mundo….
Mas você está realmente preparado??
Vamos deixar o romantismo de lado e falar um pouco dos perrengues que vêm junto no pacote, afinal, nem tudo são rosas.
Na teoria tudo é lindo… Normalmente quando temos um sonho não visualizamos as lágrimas e as dificuldades envolvidas no processo.
Mas elas existem e são muitas!
Por isso, antes de tomar essa decisão, esteja ciente das vantagens e desvantagens e analise se está preparado fisicamente, mentalmente e espiritualmente para uma aventura dessas.
Uma volta ao mundo não é uma viagem de férias, daquelas que você tem planejado tudo certinho e sabe o que vai acontecer do início ao fim.
Esse tipo de viagem envolve dormir tarde depois de passar o dia inteiro batendo perna por uma cidade nova, explorando cada cantinho. Envolve também acordar cedo (muitas vezes de madrugada) para aproveitar o dia, para pegar um vôo ou para ver o nascer do sol de trás de um templo.
Você tem que deixar as frescuras de lado e estar disposto a comer o que aparece na frente, sem muitas vezes saber o que está pedindo – afinal, você não entende o que está escrito no cardápio. Você vai lavar a roupa na pia do banheiro do hotel, pegar trens lotados e ônibus superlotados, camelando com a bagagem.
É cansativo e estressante planejar o roteiro, estudar como torná-lo possível, tentar entender os mapas, comprar as passagens de um lugar para outro, reservar hotéis, check-ins, check-outs.
É cansativo lidar com a burocracia e com a falta de preparo de atendentes de guichês. Cansa enfrentar filas intermináveis, lutar para se comunicar com alguém que não fala a sua língua, organizar as fotos e as filmagens no HD. Cansa se perder e como cansa se achar.
É difícil administrar as emoções, as expectativas, as novidades, a saudade, tudo que você está vivendo e aprendendo. Cansa ter atenção o tempo todo para não perder nada, para saber onde estão seus pertences e para cuidar do financeiro.
Dar uma volta ao mundo é pra gente grande!! É ser forte, assumir responsabilidades e resolver problemas em outro idioma. É lidar com questões que você nunca se imaginou estar vivendo e tomar decisões sérias/importantes diariamente… É se adaptar a culturas e costumes diferentes, é sair da zona de conforto, é não ter conforto.
Tudo é muito intenso e trabalhoso….
Optamos por sair do nosso mundinho e cair nesse mundão. Em muitos momentos pensei em desistir, em voltar pra casa pro colo da minha mãe onde tudo é mais fácil e confortável. Hoje olho pra trás e não enxergo nenhuma dessas dificuldades como problemas ou aborrecimentos, pelo contrário…. Foram essas dificuldades que me fizeram crescer e ver como sou forte, capaz de resolver qualquer coisa que antes eu considerava problema. Hoje nada mais me assusta, sou mais segura e confiante.
E você, está preparado?
Tenha a consciência de que não será fácil e a certeza de que você nunca mais será o mesmo.
faça (4)
P.

Passagem Volta ao Mundo: Como funciona?

Era dezembro de 2013 e precisávamos voltar de Sydney para o Brasil. Como era alta temporada, os preços estavam nas alturas e precisávamos pensar rapidamente em alternativas.
Foi aí que uns amigos da Austrália comentaram sobre uma passagem chamada de RTW (Round The World) e os nossos olhos brilharam. Eles conheciam uma agente de viagens brasileira expert no assunto.
Fomos conversar com ela e em menos de 24 horas decidimos os destinos e compramos os tickets para aquele tão novo sonho de vida! Seriam 7 meses viajando pela Ásia e Europa com uma paradinha estratégica no Brasil.
A Oneworld, a Star Aliance e a Sky Team são alianças mundiais que vendem essas passagens de volta ao mundo. No site você pode fazer simulações de acordo com o seu roteiro dos sonhos, mas por experiência, aconselhamos sentar em uma agência de viagem e falar com um especialista nesse assunto, pois como tudo na vida, existem truques para pagar mais barato.
Algumas condições que têm que ser respeitadas:
– A passagem de Volta ao Mundo tem duração máxima de 1 ano.
– É necessário partir e terminar no mesmo pais, sempre voando no mesmo sentido do Globo (Leste ou Oeste).
– Podem ser feitos de 3 a 16 trechos de viagem (até 39.000 milhas). Geralmente se escolhe a cidades principais de cada continente como ponto de chegada e partida para o próximo destino.
O custo médio é 3 mil dólares e os valores variam de acordo com o número de destinos escolhido (distância em milhas). É possivel mudar as datas sem custo adicional caso você decida ficar mais tempo em algum lugar ou até mesmo ir embora antes.
Nosso caso foi uma “RTW sob medida”, pois não tinhamos como respeitar todas as regras: nosso destino final não seria Austrália e sim Itália para conquistar a cidadania.
Essa passagem é uma excelente opção para quem dispõe de tempo e vontade de explorar esse nosso tão surpreendente mundão.
E se você se interessou e não sabe por onde começar, escreva pra gente que passamos o contato da Ana, nossa agente de viagem….
142543adb12e2d4c01fd8da94e90837c
P.